Projeto Regimes Totalitários

A forma como eu realizo minhas leituras está sempre em desenvolvimento. As mudanças que empreendo passam por testes para que eu descubra a melhor forma de conhecer novos autores, reler antigos, escrever sobre o que leio e outras coisas. Diferentemente do que vejo na internet, não acredito que Literatura seja entretenimento, e sim conhecimento. Leio para aprender desde criança. Nunca a vi como passatempo. Por isso mês passado, repensei minhas leituras novamente. A aleatoriedade delas estava me incomodando bastante. Senti falta de um aprofundamento em cada uma delas. E também  questiono-me sempre acerca do tempo que levo. Gostaria de ler bem mais lentamente do que leio. Mas pensando nesses dois questionamentos, resolvi criar pequenos projetos, no qual eu escolheria romances e livros teóricos acerca de um determinado tema.

A Segunda Guerra Mundial sempre foi uma paixão. Estou sempre lendo ou vendo algo acerca do tema, por isso fiquei tão animada com o lançamento de O tambor, escrito por Günter Grass. Conheci o autor no momento da sua morte, ano passado, se não me lembro. A obra é o primeiro livro de uma trilogia com a temática do Holocausto, momento vivido pelo autor. A partir da imensa vontade de ler a obra, resolvi que o primeiro projeto seria sobre Regimes Totalitários.

DEu-D0_XgAAJZBJOs romances escolhidos foram O tambor, livro já mencionado, a trilogia Os sonâmbulos, de Herman Broch e A peste, obra-prima do escritor e filósofo Albert Camus. Os dois romances possuem estruturas bastante diferenciadas um do outro, o primeiro possui um relato mais histórico e direto acerca do Holocausto, o segundo nos coloca nos momentos anteriores à Primeira Guerra, e o terceiro é uma alegoria das consequências do avanço das tropas de Hitler. Vale salientar que não li nenhum ainda, a escolha foi feita por críticas lidas acerca dos livros.

Confesso que sei que A Montanha Mágica que li há pouco tempo também aborda o tema, mas não consegui abarcar as analogias feitas pelo autor, por isso preciso estudar mais acerca da obra e o reler também para escrever sobre.

Os livros teóricos escolhidos abordam algumas formas de pensar acerca do tema. ADEu9__gXYAAhRsy Alemanha ainda hoje é vista com preconceito por informações e visões que recebemos da mídia norte-americana, por isso resolvi escolher conhecer os dois lados. O primeiro escolhido foi um livro filosófico de uma autora judia muito aclamada e conhecida por nós, Hannah Arendt. Escolhi Origens do Totalitarismo, onde a autora abordará os principais regimes totalitários do século XX. Lerei também Os alemães, livro do sociólogo Norbert Elias, no qual o autor busca explicar como a Alemanha chegou ao momento crítico das duas guerras. Ao ler o prefácio de Os alemães escrito por Eric Dunning e Stephen Mennel, descobri que Bauman havia escrito também um livro chamado Modernidade e Holocausto acerca da temática e que possuía uma visão completamente diferente de Elias. Resolvi acrescentá-lo também às discussões que eu faria.

Compreendo perfeitamente o quão longe estou de abordar a temática na sua totalidade, mas será um começo. Tenho consciência de que durará a vida toda, mas para o Rascunhos Críticos dissertarei acerca dos livros escolhidos. Mas manterei o projeto em aberto. E não colocarei prazo a nenhuma dessas leituras.

 

Anúncios

2017: o ano dos desafios megalomaníacos!

Oi gente!

mais uma vez começando atrasados, pois a promessa era voltar no início de janeiro. Mas o importante foi nossa volta!!! E apesar de já ter postado cada um no insta (@annaluacosta), pensei em deixá-los expostos aqui também para ver se esse ano funciona. Estão preparados para o exagero?

O  Grande Desafio 2017 do #cultobooktuber

O desafio consiste em duas categorias propostas pelos canais participantes para cada mês. Nesse desafio irei pensar opções apenas para o 1° semestre para que eu tenha mais liberdade de escolha depois. E vamos as categorias!

Janeiro

  1. Autor negro: AvóDezanove e o segredo do soviético, Ondjaki (lido).
  2. Livro que você abandonou: D. Quixote, Cervantes (lido).

Fevereiro

  1. Autor que tenha seu sobrenome: O fio das missangas, Mia Couto (Seu nome verdadeiro inclui Leite!).
  2. Reler um dos primeiros livros que você leu: (Ainda não sei se coloco Lolita ou Os Mais, lidos ambos na infância).

Março

  1. Um autor português vivo: Homens imprudentemente poéticos, Valter Hugo Mae.
  2. Livro preferido de alguém: Almas Mortas, Gógol (Livro preferido do meu namorado e parceiro aqui no blog, João).

Abril

  1. Livros com ossos no título: Ossos de Eco, Samuel Beckett.
  2. Clássico da Literatura Européia: Retrato do artista quando jovem, James Joyce.

Maio

  1. Ficção sobre maternidade: A filha perdida, Elena Ferrante.
  2. Livro publicado há mais de 100 anos: Divina Comédia, Dante.

Junho

  1. Clássico do meu gênero favorito: O homem que ri, Victor Hugo (O gênero preferido é o romance).
  2. Autor cuja nacionalidade ainda não li: Verão, Coetzee (África do sul)

Para maiores informações sobre o desafio: grupo no face.

Desafio Miserável 2017

O desafio desta vez não possui mês específico. Vamos às categorias!

  1. Livro do Saramago: Ensaio sobre a cegueira, Saramago.
  2. Um autor negro: AvóDezanove e o segredo do soviético, Ondjaki (lido, sim, eu repeti).
  3. Um livro asiático: O livro do Chá, Kakuro.
  4. Um livro de terror: Drácula, Bram Stoker.
  5. Um livro russo: Crime e Castigo, Dostoiévski.
  6. Um livro alemão: A Montanha Mágica, Thomas Mann.
  7. Um romance histórico: Os Buddenbrock, Thomas Mann.
  8. Uma biografia: Os irmãos Mann, Nigel Haminton.
  9. Um livro lançado antes de 150o: Divina Comédia, Dante.
  10. Um calhamaço: O homem que ri, Victor Hugo.
  11. Um fantasia: (Ainda estou pensando, não sou fã do gênero, mas me indicaram História sem fim).
  12. Um livro escrito por mulher: Dias de abandono, Elena Ferrante.
  13. Um livro considerado difícil: Ulisses, James Joyce.
  14. Um livro extra: O idiota, Dostoiévski ou/e Uma vida pequena, Hanya Yanagihara (sim,vou tentar ler os dois).

Para maiores informações: grupo do face.

Desafio Livrada 2017

Não podia faltar, né? Este ano estou super-empolgada, vamos ver se dá certo dessa vez! Vamos as categorias!

  1. Livro ganhador do Jabuti: Benjamin, Chico Buarque.
  2. Um livro japonês: O livro do chá, Kakuro.
  3. Um livro que explore o erotismo: Delta de Vênus, Anais Nin.
  4. Um roman à clef: O homem sem qualidades, Robert Musil.
  5. Um livro com protagonista detestável: Noite e Dia, Virginia Woolf.
  6. Um livro triste: Dias de Abandono, Elena Ferrante.
  7. Um livro de um autor que conheço pessoalmente: Algum da Ana Miranda.
  8. Um livro com engajamento político: Os sonâmbulos – vol1, Hermann Broch.
  9. Um livro que ganhei de um amigo: Dublinenses, James Joyce (Ganhei do Marcelo).
  10. Um romance psicológico: Crime e Castigo, Dostoiévski.
  11. Um livro escrito antes do Renascimento: Divina Comédia, Dante.
  12. Livro resenhado pelo Livrada: Pais e filhos, Turgueniev.
  13. Um livro de correspondências: Caro Michele, Natalia Ginzburg.
  14. Um livro que se passa em um lugar que você já esteve: Quem tem medo de vampiro?, Dalton Trevisan (São Paulo).
  15. Vida e Destino, Vassilli Grossman.

Maiores informações: insta do Livrada.

Então, ficaram assustados? Vamos ter fé e acreditar, não é? rsrs. Torçam por mim!