Travessuras da menina má, de Mário Vargas Llosa

Mário Vargas Llosa chegou há pouco tempo em minha vida e já arrebatou-me. Sua escrita, suas escolhas lexicais, seus personagens, suas histórias fizeram com que eu descobrisse o que o mundo havia descoberto em 2010, ano em que o autor ganhou o prêmio Nobel de Literatura.

Travessuras da menina má me parece ser seu livro mais famoso. Talvez porque conte uma história de amor. Apesar de os amantes relatados não serem personagens comuns do gênero. Ricardo e a menina má vivem um relacionamento bastante conturbado.

Logo no início do livro conhecemos Ricardo através de suas lembranças deIMG_20150413_220238[1] adolescente no bairro de classe alta Miraflores. O menino era tímido, mas possuía um grupo de amigos no bairro que era bastante tranquilo. Até que chegam duas irmãs do Chile que causam curiosidade nos meninos e receio nas meninas. As chilenitas se mostravam meninas modernas, pois andavam rebolando e usam roupas bastantes ousadas para a idade. Ricardo apaixona-se pela mais velha Lily. Eles andavam juntos como namorados, mas a menina nunca aceitou namorar com ele. A partir daí, Ricardo e a chilenita irão se reencontrar várias vezes.

A menina má age de uma forma bastante livre. Quanto a isso, não vejo problemas. Mas ao contrário de muitas pessoas, não senti empatia pela personagem. A forma como ela tratava o Ricardito me incomodou bastante. Não concordo com a relação feita por muitas pessoas de que uma mulher livre necessariamente precise tratar os homens como se eles fossem apenas objetos. As ações dela abrem uma discussão acerca do feminismo e da transgressão feminina. Lily seria uma mulher transgressora ou apenas uma mulher má?

Ricardito é um rapaz encantador, doce e apaixonado. Seu sonho é viver na cidade de Paris. Ele realiza seu sonho e torna-se tradutor já que sempre gostou de estudar línguas. Uma das partes mais interessantes é seu relato acerca do processo de tradução de textos literárias em russo.

O romance é narrada pelo próprio Ricardo, que nos conta sua deturpada relação de amor com a menina má. Suas lembranças e sentimentos vão nos dando peças do quebra-cabeça que é a personagem. O leitor precisa reconstruir a menina má através dos relatos de Ricardo. Fiquei me perguntando se ele seria um narrador infiel, mas a sutileza com que ele fala dela, sem agressões, sem repreensões, pode nos mostrar que Ricardo talvez a tenha amenizado, em vez de deturpar sua imagem.

O autor também toca em pontos da história peruana através do contato de Ricardo com seus parentes que continuam em Lima. Ele relata como a ditadura pesou na história peruana e como seu povo sofreu por conta dela. Também a desesperança da população diante dos problemas políticos. Outros temas abordados pelo autor passam pelo início da AIDS, pelo movimento hippie e outros assuntos ocorridos entre as décadas de 60 a 90.

A escrita de Llosa é enormemente influenciada por escritores franceses. Sua paixão por esse escritores e pela capital francesa é bastante visível. O erotismo por exemplo é fruto de sua admiração por Bataille e Sade.

Eu simplesmente amei cada cena, cada parte do livro.

Livro: Travessuras da menina má

Autor: Mario Vargas Llosa

Editora: Alfaguara

Tradução: Ari Roitman; Paulina Wacht.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s